Amieiro

 

Nome científico: Alnus glutinosa 

Origem: Autóctone

Porte: Até 30 m

Longevidade: Entre 100 a 150 anos

Floração: Fevereiro a março

Onde se pode observar: Margens do estuário e do rio Neiva.

Valor Ecológico: Forma simbioses radiculares com  Frankia alni – uma bactéria filamentosa fixadora de azoto. A queda das folhas no outono protege o solo e favorece a formação de húmus. Funciona como uma barreira natural contra o vento.

Curiosidades: Madeira muito utilizada no fabrico de mobiliário. Da casca retira-se uma tintura, avermelhada ou negra, que pode ser aplicada no tingimento de lãs, peles e redes de pesca. As suas folhas e casca são ricas em taninos.

 

Saber mais

(mais…)